O ritmo de atualização da tecnologia é realmente impressionante. Novos meios para facilitar as tarefas do cotidiano surgem e popularizam-se de uma hora para outra. A impressão via wi-fi, que era inimaginável alguns anos atrás, tornou-se um recurso indispensável para as empresas. Entretanto, já começa a ganhar força um novo método capaz de substituí-la: o NFC (Near Field Communication).

A proposta deste artigo é explicar o funcionamento do NFC, mostrar como ele está evoluindo e de que maneira deve afetar os usuários de smartphones e outros dispositivos móveis, especialmente no segmento de impressão. Além disso, apresentaremos algumas vantagens e desvantagens dessa tecnologia. Confira!

O que é e como funciona o NFC?

O NFC é uma evolução das tecnologias de rede wireless atuais, cuja ideia é permitir o compartilhamento de informações entre dispositivos sem precisar de outros mecanismos de autenticação. A principal diferença entre o NFC e outros meios de comunicação sem fio, como o wi-fi, está no alcance do sinal, que é de apenas alguns centímetros.

A tipologia de rede utilizada no NFC é ponto a ponto, a mesma do Bluetooth, mas o nível de segurança da conexão é maior e o consumo de energia dos dispositivos é bem menor, especialmente na comparação com o wi-fi. Com o NFC, não há necessidade de emparelhar os dispositivos para transferir dados e a conexão ocorre em menos de um décimo de segundo!

Quais as possíveis aplicações para o NFC?

Os dispositivos equipados com NFC devem substituir vários instrumentos amplamente utilizados no nosso dia a dia, sendo adotados, inclusive, pelas principais marcas de impressoras. O impacto imediato dessa tecnologia no setor gráfico é a possibilidade de operar equipamentos e fazer impressões mobile com mais praticidade do que em uma conexão wi-fi (veja neste link alguns exemplos de impressoras que já possuem o NFC).

O NFC também deve ser aproveitado em cartazes, etiquetas e folhetos capazes de fornecer ou recolher dados de quem interage com eles, algo que, certamente, causará uma revolução nos métodos de impressão. É possível, por exemplo, dispensar o uso de códigos de barras nos supermercados e conferir preços encostando dispositivos na embalagem ou na etiqueta de um produto.

Na hora de efetuar pagamentos, bastaria aproximar seu celular de um aparelho posicionado no caixa, tornando os cartões de crédito desnecessários. Algumas empresas, como Google e MasterCard, estão incluindo o NFC em outros instrumentos, como relógios, pulseiras e até adesivos. 

Quais as vantagens e desvantagens do NFC?

Por ser baseado em padrões implementados universalmente, o NFC é bastante versátil e deve ser adotado por vários segmentos. Outra grande vantagem dessa tecnologia é proporcionar uma interação bastante intuitiva com os equipamentos, não exigindo mais do que um simples toque para estabelecer a conexão e transferir dados.

Entretanto, ainda há alguns pontos fracos que devem ser trabalhados nos próximos anos, como o custo para adquirir novos equipamentos e implementar o sistema de forma mais ampla. Também é preciso superar o desconhecimento da maior parte da população sobre o NFC e desenvolver métodos de segurança que eliminem as vulnerabilidades desse sistema.

Evidentemente, vale a pena ficar atento e acompanhar a evolução no Near Field Communication, pois ele deve facilitar muito nossas vidas, criar tendências em impressão e proporcionar excelentes oportunidades de negócio em um futuro próximo.

Gostou deste post? Então, aproveite para deixar seu comentário. Será mesmo que o NFC tem potencial para substituir a impressão via wi-fi? Qual deve ser a atitude das empresas para se adaptar a essa nova realidade? Queremos saber sua opinião!